Cerejas

Silêncio

A Câmara Municipal está tratando de abolir os barulhos harmoniosos da cidade: os auto-falantes e as vitrolas. [...]
Gosto daqueles móveis melódicos e daquelas cornetas altíssonas. Fazem bem aos nervos. A gente anda, pelo centro, com os ouvidos cheios de algarismos, de cotações da bolsa de café, de câmbio, de duplicatas, de concordatas, de "cantatas", de negociatas e outras cousas chatas. De repente, passa pela porta aberta de uma dessas lojas sonoras e recebe em cheio, em plena trompa de Eustáquio, uma lufada sinfônica, repousante de sonho [...] E a gente pára um pouco nesse halo de encantado devaneio, nesse nimbo embalador de música, até que a altíssima farda azul marinho venha grasnar aquele horroroso "Faz favorrr, senhorrr!", que vem fazer a gente circular, que vem repor a gente na odiosa, geométrica, invariável realidade do Triângulo - isto é, da vida."
Urbano (Guilherme de Almeida), 1927.

6 de fevereiro de 2014

John Lennon e o tempo das palavras

Acabei de ler a ótima tradução feita pelo Pablo Castro para a incisiva canção Gimme some truth de John Lennon. Crua e direta, como no original, tanto quanto foi possível. Sim, porque a dificuldade reside no fato das escolhas que se pode fazer para traduzir o vocabulário usado pelo compositor, carregado de expressões populares, da língua das ruas e da rebeldia. Expressões que também refletem um corte social e político muito específico, do início dos anos 1970, da contracultura, visível nas referências às drogas e aos termos psicanalíticos, do protesto contra a Guerra do Vietnã e as desculpas esfarrapadas do governo. Fiquei, por isso mesmo, instigado pelo intraduzível Tricky Dicky (algo como ardiloso ricardinho), provavelmente endereçado a Richard Nixon e possivelmente sacado da canção de título homônimo de Leiber e Stoller (dupla pioneira do rock and roll que era apreciada por Lennon e pelos demais Beatles) gravada por Richie Barrett em 1962 e The Searchers em 1963. Lennon coloca Nixon como uma espécie de papa da retórica ensaboada que a letra joga ao chão com o soco no estômago que vocaliza o clamor dos protestos: me dê um pouco de verdade. Não sou um profundo entendedor das sutilezas do trabalho de tradução mas acho que era preferível mesmo ficar sem traduzir. Se não por outros motivos, ao menos por motivar esse pequeno exercício de pesquisa que foi bastante instrutivo.



Me Dê Um Pouco da Verdade. Gimme Some Truth ( Lennon) <original, com cifra>

Estou cansado de ouvir coisas
Vindas de arrumadinhos, míopes, hipócritas de mente estreita
Tudo que quero é a verdade.
Me dê só um pouco da verdade.
Estou farto de ler coisas vindas
De neuróticos, psicóticos, políticos de cabeça-de-porco,
Tudo que quero é a verdade.
Me dê só um pouco da verdade.

Nenhum careta,covarde, filho de Tricky Dicky
Vai me "agradar" me "ensaboando" suavemente
Com um simples maço de esperança
Dinheiro pra droga
Dinheiro pra corda

Nenhum careta,covarde, filho de Tricky Dicky
Vai me "agradar" me "ensaboando" suavemente
Com um simples maço de esperança
Dinheiro pra droga
Dinheiro pra corda

Estou doente de ver as coisas
De chauvinistazinhos da mamãe, condescentes e secretistas.
Tudo que quero é a verdade.
Me dê só um pouco da verdade, agora.

Eu estou farto de ver cenas
De prima-donnas esquizofrênicas, egocêntricas e paranoicas.
Tudo que quero é a verdade,agora
Me dê só um pouco da verdade.

Nenhum careta,covarde, filho de Tricky Dicky
Vai me "agradar" me "ensaboando" suavemente
Com um simples maço de esperança
Dinheiro pra droga
Dinheiro pra corda

Ah,Eu estou doente e cansado de ouvir coisas
De arrumadinhos, míopes, hipócritas de mente estreita
Tudo que quero é a verdade, agora.
Me dê só um pouco da verdade, agora.

Estou farto de ler coisas vindas
De neuróticos, psicóticos, políticos de cabeça-de-porco,
Tudo que quero é a verdade, agora.
Me dê só um pouco da verdade, agora.

Tudo que quero é a verdade, agora.
Me dê só um pouco da verdade, agora.
Tudo que quero é a verdade.
Me dê só um pouco da verdade.
Tudo que quero é a verdade.
Me dê só um pouco da verdade.


As gravações citadas na postagem:





P.S. 2017
Aproveitando o embalo da celebração da data de aniversário de Lennon, acabei encontrando essa significativa gravação pirata em que ele troca ideias com o parceiro McCartney enquanto tocam a canção. Felizmente, quando se trata dos Beatles há muito material assim, sobras de gravação em estúdio que geralmente são descartadas, mas no caso deles foram preservadas e permitem uma verdadeira arqueologia da composição de várias de suas canções, e sobretudo um entendimento de seu método de trabalho em estúdio.


Nenhum comentário:

Postar um comentário