Cerejas

Silêncio

A Câmara Municipal está tratando de abolir os barulhos harmoniosos da cidade: os auto-falantes e as vitrolas. [...]
Gosto daqueles móveis melódicos e daquelas cornetas altíssonas. Fazem bem aos nervos. A gente anda, pelo centro, com os ouvidos cheios de algarismos, de cotações da bolsa de café, de câmbio, de duplicatas, de concordatas, de "cantatas", de negociatas e outras cousas chatas. De repente, passa pela porta aberta de uma dessas lojas sonoras e recebe em cheio, em plena trompa de Eustáquio, uma lufada sinfônica, repousante de sonho [...] E a gente pára um pouco nesse halo de encantado devaneio, nesse nimbo embalador de música, até que a altíssima farda azul marinho venha grasnar aquele horroroso "Faz favorrr, senhorrr!", que vem fazer a gente circular, que vem repor a gente na odiosa, geométrica, invariável realidade do Triângulo - isto é, da vida."
Urbano (Guilherme de Almeida), 1927.

31 de agosto de 2012

De onde jorra a inspiração?


De onde jorra a inspiração? Inusitados são os caminhos da criação. Nesse trecho de entrevista à BBC em 1975 George Harrison explica a motivação para compor "This guitar (can't keep from crying)", uma espécie de gêmea bivitelina da marcante "While my guitar gently weeps". Muito franco como de costume, ele argumenta que "poderia ser só uma desculpa pra tocar guitarra" mas basicamente que, ao se dar conta do sucesso da 1a., pensou "porque não fazer outra?" 

George também resolveu parir uma canção gêmea univitelina de sua obra-prima Here comes the sun, e foi outra maravilha...

 
Embora fosse muito ligado em questões espirituais e tenha feito várias e várias canções de inspiração religiosa, George tirava igualmente proveito de situações corriqueiras e até mesmo das adversidades mais terrenas para inspirar-se. Foi assim que nasceram "Taxman", repúdio à sanha fiscal do governo britânico, "Sue me, sue you blues", rancoroso lamento sobre os embates jurídicos travados durante a dissolução dos Beatles e "This Song", crônica bem humorada do julgamento por plágio a que foi submetido e condenado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário